Santa Terezinha do Progresso / Justiça - 25 de Abril de 2018 - 11h10

​8 milhões em bloqueio de bens de Ex prefeito, 2 empresas e mais 10 pessoas

Foto: arquivo www.campoere.com

A Promotoria de Campo Erê ajuizou uma ação de improbidade administrativa contra o ex-Prefeito de Santa Terezinha do Progresso, Itacir Detofol, contra o contador do Município, Ademir Detofol, e contra outras 9 pessoas e 2 empresas envolvidas em um esquema de desvio de recursos públicos.

A justiça determinou o bloqueio de aproximadamente 8 milhões de reais dos envolvidos e afastou Ademir Detofol de seu cargo público.

Segundo o Ministério Público, durante os anos de 2011 e 2012, Itacir Detofol e Ademir Detofol construíram um barracão para a instalação de um laticínio no Município de Santa Terezinha do Progresso, investindo cerca de 650 mil reais em recursos públicos.

Após o término da obra, o então Prefeito fez um contrato de concessão de uso do barracão construído com empresa Laticínios Santa Terezinha, pelo prazo de 10 anos, de forma gratuita, sem a devida licitação, com a clara intenção de beneficiar especificamente essa empresa, que tinha sido criada há apenas 3 meses.

Passados 7 meses da assinatura do contrato de concessão de uso, os sócios iniciais do laticínio abriram mão da empresa, de forma gratuita, em favor do filho do então Prefeito, Jonas Detofol, e do primo do Prefeito e contador da Prefeitura, Ademir Detofol, que assumiram como sócios proprietários do laticínio.

Ou seja, na realidade tudo não passou de um esquema feito pelo então Prefeito e pelo contador, que criaram uma empresa com sócios “laranja”, deram a ela os direitos de uso do barracão e depois passaram a pessoa jurídica para o nome deles, sem pagar nada por isso.

Não satisfeito, o Prefeito determinou a construção de um segundo barracão ao lado do primeiro, investindo cerca de 350 mil reais em recursos públicos.

Dessa vez, o então Prefeito fez uma DOAÇÃO dos dois barracões, inclusive aquele que tinha sido cedido por 10 anos a eles, para a empresa Boa Vista Alimentos, que tinha como sócios “laranja” o cunhado de Ademir Detofol e uma terceira pessoa que fez uma procuração passando plenos poderes para Ademir Detofol administrar a empresa.

Assim, verificou-se que o grande esquema de desvio de recursos públicos ocorrido no Município de Santa Terezinha do Progresso nos anos de 2011 e 2012 consistiu na construção de 2 barracões que posteriormente foram doados sem qualquer ônus financeiro ao então Prefeito, Itacir Detofol, e seu primo e contador da Prefeitura, Ademir Detofol, por meio de empresas da dupla, utilizando diversos sócios “laranja”.

Se condenados, os agentes terão que devolver o dinheiro desviado, pagar multa de até 3 milhões de reais e ficar até 10 anos sem poder ocupar qualquer cargo público ou celebrar contrato com o Poder Público.

Além disso, pelos mesmos fatos, os agentes estão sendo investigados pelos crimes de peculato, fraude à licitação, associação criminosa e lavagem de dinheiro, podendo ser condenados a até 30 anos de prisão.

Fonte: MP-SC

Compartilhar:

Veja também

Todos os direitos reservados. Campo Erê.com. 2018